Abordagem Fitoquímica e prospecção do potencial antimicrobiano in vitro das partes aéreas de três espécies vegetais pertencentes à família Lamiaceae

* Elaine Cristina Torres | Publicado 19/09/2008
TORRES, E. C., RIBEIRO, A., SOARES, M. A.
Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, Rodovia MG-129 - Córrego Seco - Bairro Areão - Itabira -MG


RESUMO: As espécies vegetais Leonotis nepetaefolia (R. Br.) W. T. Aiton., Leonurus sibiricus L. e Leucas martinicensis (Jacq.) R. Br., dentre outras espécies pertencentes à família Lamiaceae, são popularmente conhecidas como Cordão-de-Frade. Na medicina popular são atribuídas às preparações contendo estas espécies propriedades tônica, estimulante, diurética, febrífuga, sudorífica, carminativa, antiespasmódica, contra dores reumáticas e inflamações urinárias. Buscou-se através deste trabalho determinar o perfil fitoquímico das três espécies, através da metodologia descrita por MATOS, 1977;avaliar a atividade antimicrobiana de seus extratos hidroalcoólico, metanólico, hexânico e em acetato de etila, sobre Escherichia coli, Candida albicans, Micrococcus luteus e Staphylococcus aureus, pela técnica de difusão em ágar através de discos (Método de Kirby-Bauer) e através de poços. Visou-se, também, estabelecer uma comparação entre as três espécies vegetais de forma a expandir o conhecimento químico e terapêutico destas espécies medicinais. Nas três plantas estudadas, foram detectados agliconas esteróides e/ou triterpenóides, saponinas, esteróides e/ou triterpenóides. Além destes compostos, foram detectados, leucoantocianidinas e taninos condensados em L. nepetaefolia; ácidos fixos fortes, catequinas e taninos condensados em L. martinicensis. Os extratos em acetato de etila apresentaram melhores resultados inibitórios em relação aos extratos hexânicos e hidroetanólicos, e o extrato metanólico não apresentou resultados positivos contra nenhum dos microrganismos testados. Embora ensaios mais minuciosos sejam necessários, os resultados contidos neste estudo caracterizam os componentes químicos presentes nas três espécies vegetais, e as atividades antimicrobianas das mesmas, e constituem uma base preliminar de dados que, poderão ajudar a estabelecer a utilidade das mesmas para o combate, controle ou mesmo prevenção de doenças.

 Palavras-chave: Leonotis nepetaefolia, Leucas martinicensis, Leonurus sibiricus, Abordagem fitoquímica e Potencial antimicrobiano.

ABSTRACT: The vegetable species Leonotis nepetaefolia (R. Br.) W. T. Aiton., Leonurus sibiricus L. and Leucas martinicensis (Jacq.) R. Br., and other belonging to the Lamiaceae family, is known popularly as “Lion’s ear”. In the popular medicine they are attributed to the preparations containing this species present, diuretic, stimulant, carminative, antispasmodic, tonic properties and combat to the fever, rheumatic’s pains and urinary inflammations and too it favors the sweat production. It was looked for through this work to determine the profile phytochemstry of the three species, through the methodology described by MATOS, 1977; to evaluate the antimicrobial activity of its extracts hydroalcoholic, methanolic, hexanic and in ethyl acetate, on Escherischia coli, Candida albicans, Micrococcus luteus and Staphylococcus aureus, for the diffusion technique in agar through disks (Method of Kirby-Bauer) and through wells. It was sought to establish a comparison among the three vegetable species in way to expand the chemical and therapeutic knowledge of these medicinal species. aglycones steroids and/or triterpenoids, saponins, was detected steroids and/or triterpenoids in the three studied plants, besides these composed, they were detected, leucoanthocyanidins and tannins condensed in L. nepetaefolia; strong fixed acids, cathechin and tannins condensed in L. martinicensis. The extracts in ethyl acetate presented better inhibitory results in relation to the extracts hexanic and hydroetanolic, and the extract methanolic it didn't present positive results against none of the tested microorganisms. Although more meticulous rehearsals are necessary, the results contained in this study characterize the present chemical components in the three vegetable species, and the antimicrobial activity of the same ones, and they constitute a preliminary base of data that, they can help to establish the usefulness of the same ones for the combat, control or same prevention of diseases.

keyword: Leonotis nepetaefoliaLeucas martinicensisLeonurus sibiricus, Boarding phytochemstry and antimicrobial activity.

INTRODUÇÃO:

A origem do conhecimento do homem sobre as propriedades medicinais das plantas confunde-se com sua própria história. Há milênios os vegetais têm sido utilizados pelos seres humanos no tratamento de doenças, porém, apenas recentemente as plantas tornaram-se objeto de estudo científico no que se referem às suas variadas propriedades medicinais, inclusive quanto a sua atividade antibacteriana ou antifúngica (NOVAIS et al, 2003).

Atualmente é crescente o interesse por compostos antibacterianos de origem natural, uma vez que, grande parte dos microrganismos tende a desenvolver resistência aos antibióticos rotineiramente utilizados na clínica, por uso excessivo ou até inadequado. Assim,     faz - se necessário o desenvolvimento de novos estudos em uma busca constante de novos princípios ativos contra bactérias e fungos amplamente conhecidos (PEREIRA, 2007). Embora o desenvolvimento da resistência seja um fenômeno espontâneo, as drogas atuam como seletores de amostras resistentes. A falência das terapias vigentes tem motivado a pesquisa de novas drogas que combatam estes microrganismos resistentes (FREITAS et al, 2002).

As espécies vegetais Leonotis nepetaefolia (R. Br.) W. T. Aiton., Leonurus sibiricus L. e Leucas martinicensis (Jacq.) R. Br., dentre outras espécies pertencentes à família Lamiaceae, são popularmente conhecidas como Cordão-de-Frade. Estas plantas recebem este nome devido ao agrupamento de suas flores pequenas em glomérulos, formando uma estrutura em forma de globo, dando a impressão de um cordão. Tais exemplares apresentam, em diferentes regiões do Brasil, outros nomes comuns, como cordão-de-São-Francisco, ribim, corda-de-frade, cordão-de-frade-verdadeiro cordão-de-frade-pequeno e rubim (LORENZI & MATOS, 2002).

L. nepetaefolia é originária da África tropical, e atualmente encontra-se distribuída em regiões tropicais e subtropicais da África, Ásia e América. A espécie apresenta ampla ocorrência nas diversas regiões do Brasil, exceto no Sul (KISSMANN & GROTH, 2000 apud TOMAZ et al, 2004). L. sibiricus, originária da China e da Sibéria, encontra-se vastamente distribuída pelo mundo, e é encontrada em todas as regiões do Brasil (CARNEIRO & IRGANG, 2005). L. martinicensis é provavelmente originária da África equatorial. É conhecida em numerosas áreas tropicais e subtropicais no mundo, incluindo Índia, China, África, América do Sul e Austrália (BEAN, 2004).

L. nepetaefolia, L. sibiricus e L. martinicensis são consideradas plantas daninhas, pois infestam solos cultiváveis. Apesar dos prejuízos ocasionados às espécies cultivadas, as três espécies são utilizadas na medicina folclórica devido a diversas propriedades terapêuticas a elas atribuídas, tais como: propriedades tônica, estimulante, diurética, febrífuga, sudorífica, carminativa, antiespasmódica, contra dores reumáticas e inflamações urinárias (LORENZI, 1991).

Estudos fitoquímicos evidenciaram na constituição de L. nepetaefolia a presença de diterpenos labdanos (WHITE & MANCHAND, 1970 e 1973 e GOVINDASAMY et al, 2002), cumarinas (PURUSHOTHAMAN et al, 1976), lactonas sesquiterpênicas em seu óleo essencial (VIEIRA, 1992 apud LORENZI & MATOS, 2002), além de flavonóides glicosídeos, triterpenóides, cafeína, alcalóides (ROBINEAU, 1995 apud LORENZI & MATOS, 2002), iridóides e feniletanóides glicosídeos (TAKEDA, 1999).

Estudos farmacológicos estabeleceram para L. nepetaefolia, atividade antifúngica (ABUBACKER & RAMANATHAN, 2003. Em experimentos realizados com animais, o chá e o extrato hidroalcoólico das partes aéreas da planta provocaram um relaxamento da musculatura lisa, aumento da força de contração do coração in vitro e relaxamento dose-dependente em útero de cobaia (CALIXTO et al, 1991). As mesmas preparações citadas anteriormente (chá e extrato hidroalcoólico), apresentam também, ação antiedematogênica e antimicrobiana contra Bacillus subtilis e Staphylococcus aureus (ROBINEAU, 1995).

Investigação das propriedades químicas e farmacológicas de Leonurus sibiricus, resultou no isolamento de alcalóides (Murakami, 1943 apud ALMEIDA et al., 2006), furano-lactonas diterpênicas com atividade citotóxica moderada contra células de leucemia (L 1210) em cultura de tecidos (SATOH et al, 2003), diterpenos labdanos e uma flavona (BOALINO et al, 2004).

Atividades antimicrobiana (AHMED et al, 2006; SOUZA et al, 2004), analgésica e antiinflamatória (ISLAM et al, 2005 apud DE ALMEIDA), e contra náuplios de Artemia salina (ALVES et al, 2000) foram relatadas para os extratos orgânicos de L. sibiricus.

Para L. martinicensis, as indicações de uso popular são semelhantes às de L. nepetaefolia e L. sibiricus. Ensaios farmacológicos mostraram atividade hipotensora, relaxante e estimulante da musculatura lisa para o extrato metanólico (CHAGNON, 1984 apud LORENZI & MATOS, 2002); e atividade antidiarréica, com ação contra as bactérias patogênicas Salmonella e Shiguela (MAYKERE – FANIYO et al, 1984 apud LORENZI & MATOS, 2002). Estudos fitoquímicos revelaram a presença de um glicosídeo iridóide (KOOIMAN, 1972 apud LORENZI & MATOS, 2002).

A maioria dos estudos com as três espécies vegetais foram realizadas com plantas da África e Ásia. Estudos com espécimes brasileiras são poucos no que se refere a constituintes químicos e atividades biológicas.

OBJETIVOS

Estabelecer o perfil fitoquímico de cada uma das espécies, através da identificação de seus metabólitos secundários por meio de ensaios químicos qualitativos com a utilização de reagentes de precipitação e/ou de mudança de coloração.

Determinar a atividade antimicrobiana de extratos aquosos e orgânicos de cada uma das espécies relacionadas através do teste de difusão por discos e por poços em Ágar Mueller- Hinton e Sabouraud.


Comparar os dados obtidos com os da literatura visando expandir o conhecimento químico e microbiológico sobre as três espécies vegetais.

Clique aqui para fazer o download do trabalho completo.

* Sobre a autora: Elaine Cristina Torres é bióloga formada pela Funcesi no primeiro semestre do ano de 2008.



Não encontrou? Pesquise abaixo!